Musa da Desciclopédia

Revisão de 16h56min de 8 de janeiro de 2021 por Rhubella Marie (discussão | contribs) (Criou página com 'miniaturadaimagem|direita|Típica pessoa que biscoita esses prêmios. O prêmio '''Musa da Desciclopédia''' ou simplesmente '''DesMusa do Ano''...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Típica pessoa que biscoita esses prêmios.

O prêmio Musa da Desciclopédia ou simplesmente DesMusa do Ano, é uma das muitas votações fakes da comunidade realizadas no inicio do ano no sentido de massagear o orgulho gado da comunidade mais paneleira do Brasil.

História

Durante uma discussão normal no boteco, alguns descíclopes em mais uma oportunidade de manter os planos no assunto "punhetação de ego" próprio, elaboraram um prêmio que simbolizasse a beleza e inteligência (?) da mulher descíclope (desculpe, mas não existe uma forma feminina para a palavra descíclope) já que os outros prêmios são muitos masculinizados e a chance de uma mulher ganhar alguns deles é bastante baixa e os usuários tinham muita preguiça em mexer as votações controladas pelo Partido Comunista Descíclope que não admitiam que votassem contra a sua orientação.

De inicio, haviam muitas participantes que enviavam no fim de ano fotos de biquini e os juízes ficavam babando julgando as candidatas segundo as descrições já citadas. Esse tipo de votação foi utilizado por uma década mas estranhamente quem sempre ganhava era uma administradora que nem aparentava ter muita beleza assim (certamente era exatamente semelhante a Bete das novelas da Rede TV! e SBT). E apenas umaou outra vez ganhava outra candidata, o que levantava suspeitas de fraudes por parte de alguns usuários que supostamente eram convidados a serem chutados da comunidade por parte da direção do PCD.

 
Com as mudanças de regras, até socks transexuais passaram a ter alguma chance. Ocasioando vergonha alheia.

Entre os anos de 2015 a 2017, com a queda de frequência feminina no site e desesperados passavam a validar qualquer candidata (passando até a permitir que socks e até travestis disputassem o prêmio deixando sua marca numa comunidade e obrigando a mais usuários a abandonarem a comunidadeou a se suicidarem. Em 2018, com o banimento desses usuários novamente o prêmio recomeçou a ser ganho pela mesma administradora desconhecida já que o número de candidatas baixou tão bruscamente que foram eliminadas as etapas pré-classificatórias e os envios de fotos foram suspensos. Mesmo assim voltaram as acusações de interferências no prêmio e de novas expulsões tanto por parte da tal candidata bem como do diretório do Partidão. Chegou-se ao cúmulo em 2019, de expulsarem um conhecido vândalo por estar disfarçado de Josie the Pussycat, com direito a maiô de oncinha, peruca ruiva e diadema de orelha de gatinha, para criar um bode expiatório.

Com a erosão do prêmio em 2019, o prêmio foi suspenso por votação... mais uma vez orientada pelo Partidão descíclope.

Regra de votação

Segundo fontes não confiáveis da própria comunidade a candidata era:

  Eleita em uma fervorosa votação que ficou as moscas e tinha meia duzia de jurados embriagados, vídeos e fotos das candidatas passaram por minuciosa análise e após cálculos matemáticos complexos e opiniões de figuras ilustres como Doutor Roberto.  
Citado na Desciclopédia

Mas nós sabemos que a coisa não era bem assim. Geralmente, a única ganhadora subornava os juízes com muito sexo dinheiro desviado das obras da Oderbrecht pela direção do PT sob ordens do Lulaladrão e fruto dos esquemas feitos pelo Eduardo Cunha, conhecido como princípe da Suíça.